Receita de família: achar

Eu sou, para (quase) todos os efeitos, bilingue. Isto é mais produto da minha infância do que da minha multi-etnia . De qualquer forma, sinto e tentarei fazer com que português (a minha suposta língua primária) tenha maior relevo neste blog. Faz parte da minha herança cultural e acho que até chega ao ponto de ironia, eu só conseguir apreciar dita herança como emigrante e não como residente.

Isto tudo a propóstio de quê, afinal?

Tentei uma receita que me foi dada pela minha tia. Sim, ela é portuguesa e não, a receita não é lusa. Pelo menos suponho que não.

Achar, de acordo com a wikipédia, é uma “conserva típica da culinária indo-portuguesa”, embora em inglês o mesmo termo seja usado para coservas do sub-continente em geral. Dada a presença portuguesa na Índia, é provável que os exploradores tenham simplesmente adoptado a conserva e que pelo mundo lusófono se tenha associado exclusivamente às colónias portuguesas. De qualquer forma, não vejo nenhuma influência portuguesa na receita a não ser que contemos com o uso da malagueta cuja introdução na Índia, salvo erro, é atribuída aos exploradores portugueses*. Continue reading

Advertisements

Treinador do Sporting Despedido: Vamos passar dez minutos com esta m*rda!

Antes de tudo gostaria de dizer que não peço desculpa pelo meu uso da língua portuguesa.*

Segundo, gostaria de reafirmar que isto é, de facto, um blog que encontrou maior ênfase em comida e fotografias (já sem falar que está maioritariamente escrito em inglês). No entanto, isso não exclui (ou excluirá) uns esporádicos artigos/posts sobre qualquer outro tema, como é o caso presente.

Admito-o: não costumo ver o noticiário. Quanto mais o noticiário do meu país, visto que sou emigrante. Ora, por ventura, hoje decidi ir ao site da RTP e ver a emissão gravada de 13 de Fevereiro 2012.**

Ora bem, qual foi a primeira coisa que me veio ao ecrã? Domingos Paciência, até então treinador do Sporting foi despedido.

Continue reading

Mindwander: On chairs.

I’m a notebooker. I have no clue if that’s even a usable noun, but I’ll take it. English is an evolving language, in any case.

In any case, these notebooks contain a myriad of things from sketches of photo ideas, to recipes, to musings. I’ve been trying to include more philosophical content. In a way, I’ve done it. This is the latest instalment: it looks ridiculous but I am incredibly proud of having written it.

Let the ridicule begin Continue reading

Happy International Dia da Mulher!

So let’s close the salary gap! I’ve just found this video with working grannies (term used loosely) and, despite the extra skin exposure, these chicks look cool.

But the message is simple. Women have to work longer to earn the same amount as men: according to the video’s producers (the site has a sort of manifesto), an extra 3 months of work per year is needed to tip the scales. I know three months to a year seems relatively little, but this adds up! For a man’s 4-year wages, a woman needs to work 5 and that just doesn’t seem fair.

Who else thinks it’s totally cool that Benny Benassi “gave his blessing”?

Feliz Dia Internacional da Mulher! Agora vamos acabar com a diferença salarial! Acabo de encontrar este vídeo de avós trabalhadoras e, apesar da escolha de roupa, elas parecem fixes.

A mensagem é simples. As mulheres têm de trabalhar durante mais tempo para ganhar tanto quanto um homem: de acordo com a companhia que produzio o vídeo (o site tem um manifesto) elas têm de trabalhar três meses extra cada ano por ano “masculino”. Sei que isto parece relativamente pouco, mas isto acumula! Para obter o que um homem ganha em 4 anos, é preciso elas trabalharem 5. Querem passar para as décadas? Apenas não parece justo.

Já gora, quem mais acha porreiríssimo que o Benny Benassi tenha pessoalmente dado a sua autorização do uso da música e do vídeo?

[Peço desculpas já por qualquer erro ortográfico que por aqui se encontre; já faz tempo desde a última vez que escrevi em português. Isso e nem faço ideia de como o acordo ortográfico mudaria isto…]

Cavaco, Cavaco…

Verdade seja dita: atrasei-me nas notícias. A internet faz-me falta quando se fala daquilo que acontece fora do Reino Unido (e dentro!). Por causa de razões técnicas, não tive acesso à rede global da informação e, por extensão, só soube do seguinte hoje:

O casamento civil entre dois membros do mesmo sexo agora é legal em Portugal

Continue reading