Receita de família: achar

Eu sou, para (quase) todos os efeitos, bilingue. Isto é mais produto da minha infância do que da minha multi-etnia . De qualquer forma, sinto e tentarei fazer com que português (a minha suposta língua primária) tenha maior relevo neste blog. Faz parte da minha herança cultural e acho que até chega ao ponto de ironia, eu só conseguir apreciar dita herança como emigrante e não como residente.

Isto tudo a propóstio de quê, afinal?

Tentei uma receita que me foi dada pela minha tia. Sim, ela é portuguesa e não, a receita não é lusa. Pelo menos suponho que não.

Achar, de acordo com a wikipédia, é uma “conserva típica da culinária indo-portuguesa”, embora em inglês o mesmo termo seja usado para coservas do sub-continente em geral. Dada a presença portuguesa na Índia, é provável que os exploradores tenham simplesmente adoptado a conserva e que pelo mundo lusófono se tenha associado exclusivamente às colónias portuguesas. De qualquer forma, não vejo nenhuma influência portuguesa na receita a não ser que contemos com o uso da malagueta cuja introdução na Índia, salvo erro, é atribuída aos exploradores portugueses*. Continue reading

Sinal de vida

I am alive!
I’m aware that there have been no posts in a month, but I just wanted to assure any reader out there that the intentions to keep this going are plenty. I’ve just been busy and without content to write about. This trend will continue for a few more weeks, but I plan on ending this streak with a bang (this will probably include me venturing into the uncharted territory of cake decoration).

In fact, there is a post in the works. It’s not in English and, as I have discovered, changing languages brings about a shift in styles and my own writing feels foreign to me. Turns out I can only bluff wit in English. While we’re on this topic, anything I write in another language will be translated/rewritten to English. This may, or may not, happen the other way around.

To keep you entertained, here are a few shot I pulled out of my arse (read “archives”).

Continue reading